quarta-feira, 22 de fevereiro de 2012

Literatura Africana de expressão portuguesa



Sangue Negro

E nada mais foi preciso, que o feitiço ímpar
Dos teus tantãs de guerra chamando,

Dundundundun-tã-tã-dun-dun-dun-tã-tã,
 Nada mais foi que a loucura elementar dos teus batuques bárbaros, terrivelmente belos

_ para que eu vibrasse,
_ para que eu gritasse,

_ para que eu sentisse, funda, no sangue, a tua voz, Mãe!
E, vencida reconhecesse os nossos elos...
E regressasse à minha origem milenar.
(SOUSA, Noémia . Sangue Negro. Associação dos escritores moçambicanos, 2001.)

Carolina Noémia Abranches de Sousa Soares (1926-2003) nasceu em Moçambique e faleceu em Portugal. Foi escritora e jornalista, estudou no Brasil. Viveu em Lisboa como tradutora, exilando-se em paris quando sobreveio o Estado novo português.
Noémia  de Sousa destacou-se particularmente na abordagem de temas de exaltação de valores patrióticos e de denúncia da opressão colonial. Ressalta-se em sua poesia o orgulho de pertencer à África e a afirmação de que terão obrigatoriamente de ser os filhos a cantar essa mãe-terra (que tanto amam e sentem).

Referências: 
http://www.aemo.org.mz/aemo/index.html
http://www.infopedia.pt/$noemia-de-sousa
http://www.clickideia.com.br/sessaoespecial/africanidades/