quarta-feira, 28 de março de 2012

Ah se eu soubesse...



Pequeno estudo  da imprensa paulista nos faz refletir - compartilho com quem gosta de uma leitura verdadeira - qual o papel de nossas mídias?
Sempre acreditei que, assim como uma obra de arte, nossa imprensa nasce com objetivos de traçar, levar a notícia, a  informação com uma conduta ou postura tranformadora.
Porém, muito tem se observado que nossas mídias ou meios de comunicação sempre foram  meios de controle intelectual. Engana-se quem acredita que a censura só existiu no período da ditadura militar.
Governo Federal (PT) tenta impor a chamada "lei de controle das mídias". Com a jusificativa de que haja uma regulametação ou regularização, ou seja, uma seleção das informações à sociedade, principalmente, impedir que nosso país seja mal visto. Logo, estarão proibidas notícias que prejudiquem campanhas políticas, e claro os próprios políticos.
Infelizmente, isso sempre existiu, "as notícias", de modo geral, são distorcidas, mídias corrompidas, ou refletem um tal posicionamento político muito claro.Como, por exemplo, em São Paulo, um dos principais jornais do estado, e do país, esta última semana, (21 a 25 de março), em um pequeno balanço, o principal  foco foi oposição política do governo PSDB. Único dia em que foco passa ser PSDB, na matéria há argumentos positivos a medida sobre educação (Alckmin põe fim às aulas de reforço nas escolas de SP).
E menções positivas do Governo Federal aparecem na edição do dia 25 de março, entretanto, não passam perto de se tornarem foco da edição.
Portanto, considerar tudo que lemos, ouvimos, ou assistimos, como verdadeiro passa ser uma postura muito duvidosa, questionadora.