segunda-feira, 2 de abril de 2012

A valorização do professor começa pelo piso e bônus mérito 2012.

Enfim a novela da premiação chegou ao fim.
E a campanha de valorização do profissional da educação continua forte! (ironia)
Governo paulista, PSDB, mostra mais uma vez a vontade de investir em educação. Demorou mais saiu! E toquem a musiquinha, vinheta de motivação ao professor.
Bem que podia ter saído no dia 1º de Abril. Afinal, não é mentira, mas poderia ser, pois é uma verdadeira piada!
Alguns se deram por satisfeitos, outros - a grande maioria - indignados, porque trabalharam tanto para quase nada ou nada literalmente!
E para o ministro da Educação, Aloizio Mercadante, valorizar os professores brasileiros é meta fundamental para o País. Desde que assumiu o comando do ministério, ele anunciou a distribuição de tablets para os docentes do ensino médio, programas de formação, bolsas de estudo. Mas admite que cumprir o piso salarial do magistério deve ser a primeira medida de Estados e municípios para valorizar esse profissional.
No entanto, na prática, os professores que receberam  estão com dinheiro do cachorro quente garantido (seus R$ 100,00). Aos que não receberam ficam na lamentação, na ira, na revolta. Mas não acredito em luta por seus direitos. Há tempos que não temos uma união pelos direitos na educação do país.
Sou professor! Amo minha profissão!  Por quê? Porque somos nós que transformamos a sociedade, nós somos os principais responsáveis por essa política do cão!
Minha indignação a respeito de força sindical e a grande falta de companheirismo, de luta por nossa classe. Não percebo ações, movimento forte que nos motive ou fortaleça quanto a reivindicações, luta pelos nossos direitos. E isso acaba refletindo muito em jovens, em um país, em uma sociedade de acomodados.
"A principal meta da educação é criar homens que sejam capazes de fazer coisas novas, não simplesmente repetir o que outras gerações já fizeram. Homens que sejam criadores, inventores, descobridores. A segunda meta da educação é formar mentes que estejam em condições de criticar, verificar e não aceitar tudo que a elas se propõe." (Jean Piaget)
E já que não temos um rajuste, salário e condições dignas, que pelo menos venha essa esmola que chamam de "bônus mérito", mas, infelizmente, tem apenas agravado ainda mais nossa posição, nossa profissão.
Sem transparência alguma, governo, joga um número e simplesmente não temos méritos! Minha escola teve melhor resultado no Enem, trabalhamos ano inteiro, muitas vezes doente, cansados, somos cobrados para fazermos avaliações, provas trabalhos diariamente. Exigem que façamos avaliações individuais, pois alunos precisam mostrar do que são capazes, exigem recuperação paralela, contínua, darmos chance, e vem recurso de aluno, de pais e o caramba... Pergunto: Cadê nossa avaliação individual? Nossa recuperação? Cadê o projeto de recuperação?
Já é hora de retomarmos o juízo, bom senso e fazermos valer a democracia, nossos direitos!